Com sintomas muito incomodativos, as infeções urinárias são das infeções mais comuns e podem condicionar o dia a dia. Dependendo da localização onde acontecem, variam também de nome: nos rins, pielonefrite; na bexiga, cistite; na uretra, uretrite. São mais frequentes nas mulheres e nas crianças, sobretudo raparigas – 1 em cada 5 mulheres têm uma infeção urinária alguma vez na vida. Aprenda a identificar, a tratar e a evitar este problema.

1. O que é uma infeção urinária?

É o resultado da presença de bactérias em qualquer parte do sistema urinário – rins, ureteres e bexiga. Acontece quando os microrganismos alcançam o sistema urinário (a partir do exterior ou, menos comum, através do sangue) e as bactérias não são removidas pela própria eliminação de urina ou pelas defesas do organismo. Quando se instalam, os sintomas de infeção são evidentes. Entre os principais responsáveis das infeções urinárias estão as bactérias gastrointestinais, na grande maioria E-coli.

Sintomas comuns da infeção urinária


– Dor ou ardência

– Sensação de peso na bexiga

– Vontade frequente de ir à casa de banho

– Urina em pouca quantidade, muito escura ou com cheiro forte

2. Porque é que são mais comuns nas mulheres?

Está relacionado com a maior proximidade da uretra feminina com o ânus e com a vagina. Com uma uretra muito mais curta do que a masculina, os microrganismos alcançam mais facilmente a bexiga. Menstruação, infeções fúngicas vaginais, menopausa, são alturas mais suscetíveis. Durante a gravidez, há também maior propensão a sofrer de cistite, o tipo de infeção urinária mais frequente nas mulheres em idade fértil. No entanto, as crianças do sexo masculino com até um ano de idade também apresentam uma elevada prevalência de infeção a nível renal.

3. Quem corre mais riscos?

Quem bebe poucos líquidos e quem tem hábitos de higiene pouco adequados. As infeções urinárias são também mais frequentes nas pessoas sexualmente ativas e nas pessoas com problemas associados ao funcionamento da bexiga (incontinência urinária, doenças neurológicas, uso de algália…).

Conselhos para evitar a infeção urinária


– 1. Lavar a zona íntima com produtos adequados

– 2. Beber 1,5 a 2 litros de água por dia

– 3. Manter uma alimentação saudável e equilibrada, rica em fibras

– 4. Evitar usar roupa muito apertada

– 5. Usar roupa íntima de tecidos respiráveis

4. Como deve ser tratada?

Há duas formas complementares de o fazer. Primeiro, deve tratar a infeção atual com o antibiótico mais adequado e aconselhado pelo médico e farmacêutico. Segundo, deve prevenir o reaparecimento: aumentar a ingestão de líquidos, sobretudo agora que os dias mais quentes são cada vez mais frequentes, urinar mais vezes e esvaziar a bexiga até ao fim – sem adiar idas à casa de banho! –, evitar os banhos de imersão, adotar uma rotina de cuidados de higiene íntima adequada. 

5. É possível ter uma infeção recorrente?

É tão possível quanto comum. Segundo a Associação Portuguesa de Urologia, as infeções urinárias recorrentes são muito frequentes, ocorrendo em 25% das mulheres em qualquer período da vida. A definição de uma infeção urinária recorrente determina uma frequência de três ou mais infeções por ano ou dois ou mais episódios nos últimos seis meses. 

Ver Fontes (4)