Este site usa cookies para melhorar a experiência. Ao navegar no site está a concordar com o seu uso. Saiba mais sobre os Termos de Utilização.

by  Zentiva
Saúde emocional: saber gerir melhor as emoções Saúde emocional: saber gerir melhor as emoções
Cuidar

Saúde emocional: saber gerir melhor as emoções

Há formas de desenvolver, controlar e expressar todas as emoções. Estes são os quatro hábitos a seguir.

Da felicidade à raiva, da tristeza à euforia, as emoções são sinais que ajudam a comunicar, a resolver problemas e a gerir o dia a dia. Fazem parte de nós e funcionam como um espelho do que sentimos. Muitas pessoas têm dificuldade em lidar com as próprias emoções. Antes de mais, devemos lembrar e assumir que as emoções existem e não há como as negar. Queremos com isto dizer que chorar ou ter sensações negativas não é sinal de fraqueza ou de sensibilidade! É precisamente o contrário. 

Regular emoções significa ser capaz de pensar sobre como lidar com os sentimentos. Não significa deixar de os ter, mas sim não deixar que estes o dominem. O importante é saber gerir melhor todas estas emoções para manter a saúde emocional em equilíbrio, a chave para ser mais produtivo, mais criativo e mais feliz!

Felicidade, tristeza, euforia, vergonha, raiva, inveja, são emoções ou sentimentos familiares que não devem ser rotulados apenas como “bons” ou “maus”, mas sim explicados, procurando perceber de onde vêm.

Estes são alguns dos hábitos que vão ajudar a melhorar a inteligência emocional, definida como a capacidade do ser humano de aprender, controlar e expressar corretamente todas as emoções.

1. Exprimir verbalmente as emoções

Sinto-me triste/entusiasmado/chateado/assustado porque…” É deste princípio que parte este hábito. Além de saber reconhecer, é importante explicar verbalmente a razão da emoção ou do sentimento sentido em determinado momento. Nas crianças, por exemplo, deve haver um cuidado especial em incentivar ao desenvolvimento do vocabulário para exprimir as emoções, de forma a fomentarem esta inteligência emocional. Fale abertamente sobre as emoções e questione a criança sobre o que está a sentir. Expressar o que sente, assim como caracterizar e descrever em poucas palavras a emoção e a intensidade da mesma, é um dos passos fundamentais para conseguir gerir a emoção.

No livro Inteligência Emocional: porque pode importar mais do que o QI, o psicólogo e jornalista Daniel Goleman apontou a autoconsciência como um dos cinco elementos da inteligência emocional, em conjunto com a autorregulação, a empatia, as habilidades sociais e a motivação intrínseca.

2. Reconhecer e respeitar o ponto de vista do outro

Nem todas as pessoas conseguem pôr-se no papel do outro. Sabemos que é difícil entender um ponto de vista que não é o nosso. Aliás, este é um dos sentimentos psicologicamente mais fortes. Apesar de ser difícil, pode e deve ser trabalhado! É fundamental reconhecer e perceber não só os próprios sentimentos, mas também os dos outros. Pôr-se no papel do outro, conseguir ler os comportamentos, entender o que o outro está a passar e demonstrar que se percebe através de comportamentos não verbais são formas de criar relações e ligações mais fortes. A empatia é outro dos sentimentos muito importantes na inteligência emocional. Depois de perceber e reconhecer os sentimentos dos outros, arranjar mecanismos para ajudar o outro é também uma forma de desenvolver a inteligência artificial.

Pessoas que se conseguem pôr no papel do outro e reconhecer os sentimentos de outras pessoas julgam menos e têm mais facilidade em ajudar em situações de necessidade ou conflito.

3. Adotar formas de gerir as emoções

Respirar fundo, interromper ou fazer uma pausa de um a dois minutos, afastar-se quando precisa de um espaço (até para gritar!), usar palavras que expressem os sentimentos – incluindo usar confortavelmente a palavra “não”, mostrando quando não concorda com algo ou impondo limites! – são estratégias que pode e deve usar para praticar a saúde emocional positiva. É essencial que tanto adultos como crianças aprendam a fazer uso das ferramentas próprias que existem para gerir as emoções, usando-as de forma a tornarem-se menos reativas. Ser menos reativo não quer dizer que deva suprimir as emoções, mas sim aprender a fazer a gestão das mesmas, evitando dizer ou tomar atitudes das quais se pode vir a arrepender. Este é um passo precioso para refletir e recuperar o controlo das emoções.

Um dos erros mais comuns é acreditar que não é possível controlar as emoções. Substituir emoções negativas por positivas é um processo que não é fácil, mas traz consequências muito positivas. Lembre-se sempre de que não é possível controlar acontecimentos, mas é possível dominar o significado dos mesmos!

4. Obrigada!

Esta é a expressão que deve ser usada não só e apenas como reflexo de educação, mas também como um sinal de gratitude. Ser mais agradecido é um dos pontos da inteligência emocional. Assim, mostre que está grato por algo que lhe foi dito ou feito, regularmente.

Vídeo

Inovação e desenvolvimento

São palavras com muito significado para quem trabalha na Zentiva.

É nos laboratórios dos Medicamentos Genéricos que se desenvolvem novos produtos e onde os obstáculos se tornam em oportunidades. Criar um medicamento genérico é muito mais do que fazer uma cópia de um medicamento que já existe. Equipas multidisciplinares e de todos os cantos do mundo trabalham em conjunto para fazer a diferença na vida de muitas pessoas.